“Para Colorir frequências” é uma intervenção sonora para locais abertos e/ou fechados. Empunhando radinhos ordinários, alto-falantes, osciladores, microfones artesanais, transmissores preparados e dispositivos sonoros diversos, o duo instaura um campo colorido de sons. Partindo de uma ação que resulta numa instalação, o trabalho explora timbres e tessituras emergentes de aparelhos sônicos que catalisam o colorido acústico do entorno. O projeto surgiu de uma intervenção no trabalho Delivered in Voices do artista Tunga em seu ateliêr durante o festival Novas Frequências 2015. (fotos)

Para colorir frequências