Surfing on Turntables é uma peça audiovisual para 4 vitrolas, 4 câmeras de video, 4 quatro discos preparados da Primeira Sinfonia de Mahler e cenas do filme o Homem que sabia de mais de Alfred Hichckok.


Cada disco foi preparado com pequenos objetos (fitas, botões, parafusos, anéis, argolas) fixados em posições diferentes da superfície do vinil, formando cada qual uma configuração de interferências no material gravado. A peça musical ressalta as particularidades sonoras (textura, rotação, atrito da agulha, ruído, grão) características dos diferentes modelos de vitrola portátil.


Na versão ao vivo, os gestos dos músicos manipulando os vinis são capturados. Há sobre cada vitrola uma câmara que capta a imagem do disco girando. Junto as imagens ao vivo são inseridos cenas extraídas do filme de Hitchkock, em particular a cena de um assassinato encoberto pelo tutti orquestral. A peça segue uma partitura que joga com três ápices distintos: 1) clímax do filme de Hitchkock com o tiro que mataria o embaixador, 2) clímax na sinfonia de Mahler com o tutti orquestral do primeiro movimento coincidindo com a tensão tonal e a densidade da sinfônica, e 3) o clímax dado pelos músicos em performance. A peça termina quando os três ápices se fundem, dissolvendo logo em seguida numa cena de repetição estática.

Surfing on turntables

foto - Rafael Frazão