ciclo hack

Abrindo os códigos

Apresentação de Hacklabs e laboratórios experimentais em arte e tecnologia do Brasil. MuSA (Multimídia Sistemas e Artes- Oriel Frigo e Vilson Vieira ), de Santa Catarina, LaboCA (Laboratório de Computação e Artes - Jarbas Jacome e Jeraman), de Recife, Projeto Gambiologia (Lucas Mafra e Fred Paulino), de Belo Horizonte , Orquestra Organismo (Glerm Soares), de Curitiba , Garoa Hacher Club (Adriano Fabiano), MetaReciclagem (Felipe Fonseca), HackLab Leste (Salete dos Anjos) e AVLab (Miguel Cotrim), de São Paulo.

Projeto Orientado em Gambiologia


Gambiologia é um neologismo que se refere à ‘Ciência da Gambiarra’ no contexto tecnológico. Nesta oficina serão apresentadas noções básicas de Eletrônica e design gambiológico, através da criação de circuitos eletrônicos que simulam sons de percussão. Use sua imaginação e traga algum objeto para abrigar seu instrumento, como latas de metal, brinquedos velhos, aparelhos estragados, telefones antigos, etc.


Orientação: Fred Paulino e Lucas Mafra






Laboratório de Computação e Artes


Laboratório onde serão abordados princípios da arte-computação sob uma perspectiva prática, através do uso das ferramentas Processing e Pure Data como linguagem poético-criativa para a construção de obras artísticas interativas. No processo, os participantes mergulham no universo dos algoritmos e em projetos de circuitos eletrônicos artesanais para produzirem obras artísticas interativas com tecnologias sustentáveis.


Orientação: Jarbas Jacome e Jeraman


O evento reuniu um time de artistas-hackers vindos de diferentes cantos do Brasil para ocupar as Oficinas de Criatividade no SESC Pompeia e o bar Serralheria em São Paulo com mesa redonda + workshops + conversas + bancada aberta + festa experimental + instalações + música.


CICLO HACK:  09 e 10 jul 2011 | 14h às  20h | Oficinas de Criatividade SESC Pompeia.

NOITE HACK 09.07.2011 | 21h | bar Serralheria    


Concepação: Radamés Anja e Giuliano Obici | Curadoria: Giuliano Obici

Realização: Oficinas de Criatividade SESC Pompeia (Renata Figueiró, Guilherme Cunha, Simone Wicca)

Apoio: Serralheria

                                                    

ConSerto: Computabilidade da Vertigem


Partindo da ambigüidade da palavra conserto (fazer reparos em objetos) e concerto (no sentido de performance musical) pretende-se criar rituais onde o que é “técnica” (no sentido de tecnologia) e o que é “arte” (no sentido de estéticas e poéticas) constroem novos e potentes discursos sobre a tecnocracia que nos cerca e aponta para novas possibilidades. Somos capazes (e/ou "serão nossas máquinas capazes?") de criar discursos de uma espécie de "subjetividade coletiva" usando estes "conSertos" como meio da transformação de inteligência "artificial" novamente numa inteligência coletiva? Ao conSerto interessa a linha tênue entre homem-máquina como uma possibilidade de interagir de maneira mais catártica e sublime com todos estes dados que estamos despejando nas "nuvens".


Orientação: Glerm Soares

Laboratório de Computação Criativa


Tendo a bricolagem como modus operandi, os participantes serão incentivados a desenvolver projetos de experimentação tecno-artística baseando-se na utilização criativa dos recursos como o Scratch, uma linguagem de programação livre e visual onde programas são escritos com o mouse, sem a necessidade de digitar linhas de código. A partir do conhecimento da linguagem Scratch, será demonstrada sua integração com a plataforma de "computação física" Arduino. Os participantes serão convidados a criar programas/histórias que interajam com o mundo físico através de sensores e atuadores, como a manipulação de sons, motores, leds, etc.


Orientação: Oriel Frigo e Vilson Vieira

Provocações sobre arte e tecnologia

Provocadores Giselle Beiguelman, Marcelo Bressanin e Felipe Fonseca.

Encerramento + Festa Serralheria

Exibição dos trabalhos e processos desenvolvidos durante o Hacklab Pompeia: experimentações em arte eletrônica e digital e no Serralheria bar. Refletir (Mirian Duarte) , Seletivos (Vanessa Ferreira e Biofa), Descobrindo o HD (Leandro Tricarico), Teletransporte (Guilherme Espíndula da Rocha), Autônomo (Coletivo Coletores - Flávio Camargo e Tony Wilians), Logo Generativo (Fernando Hisi), Cracklebox (Hacklab Pompeia), Mini-Mapping (Adriana Pedrosa, Martin Weisz, Rafael Farzão, Fausto Nocetti), Mesa Sensorial (Martin Weisz e Everon Lima), Maxine (Ritwik Banerji), Jarbas Jacome (Jabah Pureza e os Lanternistas Viajantes), Tagtool (Fred Paulino e Lucas Mafra), Kernel Panic (Glerm Soares), LEX COMPLEX (Toni W. e De Sore), Baixo PD (Alexandre Porres).

  1. +fotos


ciclo hack 1 + fotos Rafael Farzão Giuliano Obici

ciclo hack 2 + fotos Giuliano Obici e Lina Lopes

Ciclo de conversas e laboratórios abertos para discutir e promover a cultura dos hacklabs, medialabs e laboratórios de experimentação em tecnologia e arte.

giuliano obicihome.htmlhome.htmlshapeimage_12_link_0