apresentação de Silvio Ferraz


Como o próprio título indica, a questão da escuta está no coração deste livro. É em torno dela que Giuliano Obici costura suas idéias tomando de empréstimo alguns conceitos da filosofia de Deleuze e Guattari e também de Foucault. No campo da música, e do debate sonológico, o conceito de escuta foi trabalhado de maneira radical no Tratado dos Objetos Musicais do compositor francês Pierre Schaeffer, publicado em 1966. É dele que Giuliano parte ao apresentar a estratégia de Schaeffer em formular uma  cadeia de escuta  destacando a  série que vai dos hábitos musicais, dos instrumentos e estruturas até chegar ao som enquanto som: suas articulações e imagens energéticas, e posterior dedução de estruturas acústicas.


Este livro dá mais um passo no sentido de estudarmos a escuta e se articula com Por uma escuta nômade: escutando os sons das ruas de Fátima Carneiro do Santos, e outros tantos trabalhos ainda não publicados, que resultaram dos dez anos de atuação do Centro de Linguagem Musical sediado no Programa de Comunicação e Semiótica da PUC-SP sob coordenação de Silvio Ferraz e Fernando Iazzetta e apoio de Lúcia Santaella.

condição da escuta: mídias e territórios sonoros

giuliano obicihome.htmlhome.htmlshapeimage_1_link_0