giuliano obicihome.htmlhome.htmlshapeimage_1_link_0

O suíço Walter Smetak (1913-1984) é uma das figuras esquecidas pela história da música. Seu trabalho é revisitado em seminários e em uma programação de filmes no Museu de Arte Moderna do Rio (MAM). A iniciativa - que conta ainda com um concerto apresentado pelo grupo alemão Ensemble Modern - é fruto de um esforço conjunto com o Projeto do Programa Artistas-em-Berlim do DAAD em cooperação com o Goethe-Institut. A iniciativa é patrocinada pela Fundação Cultural Federal da Alemanha, com apoio da Ernst von Siemens Musikstiftung e da Pro Helvetia, Fundação Suíça para a Cultura e Ministério das Relações Exteriores da Alemanha.


DEBATES E INTERVENÇÕES NO MAM 2017


30 DE JUNHO (sexta-feira)


TEMÁTICA I - ARQUEOLOGIA DO AFETO: Memória, Do som ao espírito 

As atividades neste primeiro momento serão dedicadas a revisitar Walter Smetak tendo como convidados personalidades que trabalharam e conviveram com ele. O mote é estabelecer uma arqueologia dos afetos que fundamentam o trabalho e a pesquisa de Smetak, bem como discutir aspectos significativos de sua memória e seu acervo.


15h30 - Depoimentos e mesa redonda Participação de Diana Dasha (RJ), Bárbara Smetak (BA), Daniel Camargo (RJ) e Jesus Chediak (RJ). Mediação de Giuliano Obici.

Local: Cinemateca do MAM

Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo

Entrada franca


18h30 – Intervenção

  1. -"Casca" para dois trombones de Alexandre Fenerich com os trombonistas Lulu Augusto Pereira e Josemar Sousa.

  2. -Obras de artistas-alunos do curso de pós-graduação da UFF e UNIRIO: “Moura” Bernardo Marques, “Trak-Trak Varal Sonoro” Pedro Albuquerque, “Duas Meio Sóis Orbitando Por Vibrações em Cordas” Herbert Baioco, “Borbulhante”Duda Valle, percefmance Ricardo Cotrim.

  3. -"Anestesia" (Smetak 1971), performance dos alunos do workshop com Ensemble Modern.

Local: Pilotis do MAM

Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo

Entrada franca


20h30 – Shows

Apresentação de O Grivo (BH), Cadós Sanchez (SP) e Thomas Rohrer (SP/Suíça)

Local: Cinemateca do MAM

Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo

Entrada franca



1 DE JULHO (sábado)


TEMÁTICA II - ARQUEOLOGIA DO PRESENTE: Perspectivas, Recepção internacional , Interculturalidade 

O mote aqui é pensar as iniciativas que envolvem a obra de Smetak no presente. Impulsionado pela iniciativa do Ensemble Modern de reinventar Smetak, a temática propõe discutir o papel de sua obra no contexto internacional. Serão abordados aspectos inter-culturais tais como a influência e o distanciamento de sua formação europeia, o sincretismo com culturas indígenas e escolas iniciáticas orientais, bem como a simbologia das formas e das cores decorrente de sua ligação com a eubiose (versão brasileira da teosofia).


10h – Palestra “Smetak e Perspectivas”

Por Marco Scarassatti (UFMG)

Local: Cinemateca do MAM

Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo

Entrada franca


11h – Mesa redonda “Interculturalidade, Recepção Internacional e Perspectivas”

Participação de Uibitu Smetak (BA), Julia Gerlach (DAAD – Alemanha), Livio Tragtenberg (SP), Michael Maria Kasper (Ensemble Modern – Alemanha), Christian Fausch (Ensemble Modern – Alemanha), Jasper Walgrave (Pro Helvetia - Suíça), Manfred Stov (Goethe-Institut - Salvador) e Marco Scarassatti (UFMG). Mediação de Alexandre Fenerich (UNIRIO).

Local: Cinemateca do MAM

Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo

Entrada franca


TEMÁTICA III - ARQUEOLOGIA DO FUTURO: Arte Sonora Brasileira: Retorno ao Futuro

Neste momento, o evento se ocupa em abordar o contexto do som nas artes. Em seu percurso Smetak expande a ideia tradicional de instrumento musical até chegar às plásticas sonoras, explorando o som no plano material e visual. Tal percurso aponta para o que hoje se denomina arte sonora, oferecendo pistas para pensar este tipo de prática no contexto brasileiro.


14h - Palestra “Arte Sonora no Brasil”

Por Franz Manata (Parque Lage - Rio de Janeiro) Local: Cinemateca do MAM

Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo

Entrada franca


15h – Mesa Redonda “Das plásticas sonoras à arte sonora”

Participação de Franz Manata (RJ), Rui Chaves (Portugal) e Julia Gerlach (DAAD – Alemanha). Mediação de Giuliano Obici (UFF).

Local: Cinemateca do MAM

Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo

Entrada franca



2 DE JULHO (domingo)


14h - Exibição de documentários

“Smetak” de Luís Carlos la Saygne (Brasil | 1976); “Natureza e Escultura” de José Tavares de Barros (Brasil | 1976); “O alquimista do som” de José Walter Lima (Brasil | 1978); “A ilha da resistência” de Rimo Marconi e Timo Andrade (Brasil | 1985); “Itacoatiara – A pedra no caminho” de Torquato Lima (Brasil | 1987); “Anil” de Fernando Belens (Brasil | 1990)

Local: Cinemateca do MAM

Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo

Classificação indicativa: 14 anos

Entrada franca


16h - Exibição do filme “O cinema falado de Caetano Veloso” (Brasil | 1986)

Local: Cinemateca do MAM

Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo

Classificação indicativa: 14 anos Entrada franca


18h - “O trem caipira” (Alemanha | 1994)

Local: Cinemateca do MAM

Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85, Parquedo Flamengo

Classificação indicativa: 14 anos Entrada franca


FICHA TÉCNICA

Curadoria: Giuliano Obici

Direção Artística e Produção: Chico Dubb

Curadoria Mostra filmes Smetak e Cinema Brasileiro: Hernani Heffner

Curadoria da Cinemateca MAM: Ricardo Cota

Revisitando Walter Smetak MAM Rio de Janeiro 2017